segunda-feira, maio 27, 2024
InícioNotíciasDoar sangue salva pets: saiba o procedimento

Doar sangue salva pets: saiba o procedimento

Esta semana o dócil Burpee, de 03 anos, passou por uma transfusão de sangue devido a um quadro clínico delicado de diarreia, vômito, febre e problemas com glicemia. Ele ainda se encontra no SOS Hospital onde está em observação.

Por enquanto, não se sabe se ele vai precisar de mais sangue, pois tudo vai depender da sua reação ao transplante realizado nesta quinta-feira (17), bem como tratamento. Nesses momentos delicado, ser um doador de sangue faz toda a diferença ao auau do lado.

O pai/mãe de pet saudáveis podem ajudar neste momento ao doar sangue para aqueles que estão precisando lutar pela vida. O processo para doar é seguro e os pets não sentem dor, nem efeitos colaterais, além de ser bem rápido. É importante lembrar que, assim como nos humanos, nas primeiras 24 horas o animal precisa ficar em repouso e beber bastante água para repor os líquidos.

Para ser doardor, o tutor deve procurar uma clínica veterinária, para coletar o sangue e ver se está tudo bem com a saúde do seu amigo de 4 patas. Depois, é preciso seguir alguns critérios para a doação, que são eles:

Regras de doação de sangue para cachorro

· Peso mínimo de 20kg;

· Idade entre 1 e 8 anos;

· Não possuir doença pré-existente, transfusão prévia ou cirurgias nos 30 dias antecedentes à doação;

· Não fazer uso contínuo de medicação;

· Não ter infestação de pulgas e carrapatos;

· Não estar no cio e ter saído há pelo menos um mês;

· Intervalo entre as doações de sangue: 3 meses;

· Vacinação e vermifugação atualizadas.

Nos cães são retirados em média 450ml de sangue.

Regras de doação de sangue para gatos

· Peso mínimo de 4kg;

· Idade entre 1 e 7 anos;

· Vacinação e vermifugação atualizadas;

· Não ter infestação de pulgas e carrapatos;

· Não estar no cio e ter saído há pelo menos um mês;

· Não possuir doença pré-existente, transfusão prévia ou cirurgias nos 30 dias antecedentes à doação;

Nos gatos, são retirados em média de 20 a 40 ml de sangue.

A transfusão se torna necessária por diversas razões, dentre elas: fatalidades que podem levar à hemorragia, como cortes profundos e atropelamentos, algumas doenças como a anemia severa e hemoparasitoses.

Na seleção, são feitos testes de compatibilidade e uma avaliação da saúde do pet que vai receber a doação. A transfusão deve sempre ser feita na clínica veterinária com avaliação do veterinário também durante a transfusão, para eventuais reações como taquicardia, salivação, hipotensão, entre outros. Terminada a transfusão, o pet que a recebeu deverá ficar internado por, no mínimo, 24 horas para observação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Anúncio
Anúncio

Mais acessados

Anúncio
Anúncio