segunda-feira, maio 27, 2024
InícioMeio AmbienteSeag e Idaf orientam população sobre cuidados contra a gripe aviária

Seag e Idaf orientam população sobre cuidados contra a gripe aviária

A Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), por meio do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf/ES) informa que, com a introdução da influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP) no Estado, todos os protocolos de contingenciamento previstos no Plano Nacional de Vigilância de Influenza Aviária, como coleta de amostras, mapeamento das áreas de focos, vistoria nas propriedades com aves, entre outros, estão sendo adotados, priorizando principalmente o bem-estar e a saúde da população, associados ao desenvolvimento da agricultura capixaba.

O reforço das medidas de biosseguridade também foram intensificados para evitar que a doença atinja criatórios domésticos e granjas comerciais. As ações estão sendo desenvolvidas em estreito alinhamento entre os órgãos do Governo do Estado envolvidos – Seag, Idaf, Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama), Secretaria da Saúde (Sesa) e Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) – e as representações do setor produtivo da avicultura comercial.

No Espírito Santo, de acordo com o Ministério da Agricultura, 15 focos foram confirmados até 7/6/2023. Importante ressaltar que todos os casos registrados até o momento ocorreram em aves silvestres, e de acordo com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), “não há mudanças no status brasileiro de livre da IAAP perante a Organização Mundial de Saúde Animal, por não haver registro na produção comercial”.

O consumo de carne e ovos se mantém seguro no estado e país.

Ações

No início de 2023, todos os médicos-veterinários do Idaf que atuam na defesa sanitária animal foram capacitados para atuação em caso de ocorrência da doença no estado. Além disso, existe um trabalho constante em parceria com a Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (Aves), de modo que o setor produtivo esteja devidamente orientado, seguindo os protocolos definidos em âmbito federal, a partir do Mapa.

Todos estabelecimentos ou as criações de aves em um raio de 10 km dos focos são investigados e orientados quanto às medidas de prevenção, conforme prevê o Plano de Contingência de IAAP.

Ações educativas

Os servidores do Idaf também estão realizando reuniões e palestras com o poder público municipal, produtores rurais, instituições de ensino, entre outros públicos. O objetivo é ampliar ao máximo as informações sobre a influenza aviária, de forma que todos estejam aptos a proceder caso haja foco da doença na região.

Orientações à população

A Secretaria da Agricultura segue alertando a população para que não toquem nas aves com suspeita da doença ou mortas. Apesar de raras, infecções humanas pelo vírus da influenza aviária podem ocorrer por meio do contato direto com aves infectadas (vivas ou mortas) ou ambientes contaminados (secreções respiratórias, sangue, fezes e outros fluidos).

Se você avistar uma ave com suspeita de gripe aviária (andar cambaleante, dificuldade em voar, torcicolo, alta mortalidade), deve fazer contato direto com o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf). No site do órgão (www.idaf.es.gov.br) há um espaço exclusivo para essa comunicação. O contato deve ser feito pelo e-Sisbravet. Basta entrar no site do Idaf, que há um banner direcionando para esse sistema. As gerências locais do Instituto também podem ser acionadas.

No caso de aves marinhas, a orientação é acionar o Projeto de Monitoramento de Praias (PMP) pelo 0800-039-5005. Em todo o caso, é importante ficar atento: não toque nas aves.

Orientações aos produtores

Os produtores devem intensificar as medidas de biosseguridade: proibir qualquer tipo de visita às unidades de produção, conferir cercamento de núcleo e telamento de galpão, manter o portão de acesso da propriedade fechado, viabilizar a desinfecção de veículos em pleno funcionamento e de materiais que acessem a granja. Outras recomendações são: uso de roupas e calçados exclusivos no acesso à granja, instalação de pedilúvio no acesso aos núcleos e aos galpões, realização de vazio sanitário, cuidados com a ração e com a água (fonte de qualidade, tratamento, reservatórios íntegros e cobertos).

O controle de pragas também deve ser realizado, assim como o treinamento de equipe, a restrição de criação de aves pelos funcionários. É preciso ainda evitar visitas em locais com aves silvestres, garantir a ausência de outras aves na propriedade, entre outras ações, reforçando todas as medidas adotadas, conforme a Instrução Normativa do Mapa nº 56/2007.

Ilhas

O Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) realizou vistorias em ilhas costeiras de Vitória, Vila Velha e Guarapari na última semana. As ações serviram para checar a presença de aves marinhas com suspeita do vírus, uma vez que os locais são utilizados pelos animais para alimentação, abrigo ou reprodução.

As vistorias contaram também com o apoio do Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (Ipram), que operacionaliza o Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (Cetras) do Iema.

A Seama trabalha, em parceria com o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), a Superintendência do Patrimônio da União (SPU/ES) e a Capitania dos Portos, a elaboração de um documento que prevê a restrição de acesso às ilhas, de modo a preservar a saúde humana.

Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa)

Com a intensificação das notificações de suspeitas e aumento dos casos, no último dia (22) o Mapa declarou estado de emergência zoossanitária em todo o território nacional. De acordo com informações do Ministério, “o Ato vale por 180 dias e é mais uma medida para evitar que a doença chegue na produção de aves de subsistência e comercial, bem como para preservar a fauna e a saúde humana”.

O Governo Federal publicou no Diário Oficial da União dessa terça-feira (6), a Medida Provisória nº 1.177, que abriu crédito extraordinário de R$ 200 milhões em favor do Ministério da Agricultura e Pecuária. Os recursos serão aplicados nas ações de enfrentamento à Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (IAAP).

Outra medida tomada pelo Ministério da Agricultura foi a disponibilização de um painel BI (Business Intelligence) para consulta de casos confirmados do vírus da IAAP – H5N1. A plataforma pode ser consultada por qualquer pessoa e será atualizada duas vezes ao dia, às 13h e às 19h, quando sair o laudo de uma investigação confirmando a detecção de IAAP. O painel pode ser acessado aqui: https://mapa-indicadores.agricultura.gov.br/publico/extensions/SRN/SRN.html

Fonte: Assessoria SEAG

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Anúncio
Anúncio

Mais acessados

Anúncio
Anúncio