segunda-feira, maio 27, 2024
Início Site

Cariacica: Feira de adoção pet acontece neste sábado (25/5)

Acontece neste sábado (25) mais uma edição da feira de adoção de animais, das 9h às 13h, no Parque Municipal O Cravo e A Rosa, localizado em Nova Brasília, Cariacica. O evento ocorre juntamente com a Caravana do Sesc, que terá atividades esportivas, recreação infantil, oficinas de arte, ações em saúde e assistência social.

Durante a feira de adoção serão 12 cães, entre filhotes e adultos, além de três gatos. Todos os animais já são castrados, vermifugados, vacinados e microchipados.

Parte deles foi resgatada no bairro Maracanã pelas equipes da Gerência de Bem-estar Animal, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec). Os animais eram vítimas de maus-tratos.

Para adotar qualquer um dos animais é preciso ter mais de 18 anos e possuir espaço e rotina compatíveis para o bem-estar do bichinho. Os interessados na adoção vão passar por uma triagem e, em seguida, preencher um formulário que será avaliado pela equipe.

Serviço:
Feira de adoção de animais
Data: 25/5 (sábado)
Horário: 9h às 13h
Local: Parque Municipal O Cravo e A Rosa, em Nova Brasília
Entrada gratuita

Santa Teresa celebra Dia da Mata Atlântica

Em virtude do Dia da Mata Atlântica, comemorado no dia 27 de maio, o Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA) promove a “3ª Semana da Mata Atlântica de Santa Teresa/ES” que começa nesta sexta-feira, às 18h30.

O evento busca incentivar reflexões sobre a conservação desse bioma e tem como tema “Memórias, Saberes e Fazeres da Mata Atlântica”, inspirado nos trabalhos do naturalista Augusto Ruschi que se relacionam às pesquisas realizadas atualmente pelo INMA.

“O tema nos permite criar uma conexão entre passado, presente e futuro da Mata Atlântica. Por um lado, temos as memórias das pesquisas e iniciativas de Augusto Ruschi em prol desse bioma, as trocas mantidas por ele com outros cientistas, instituições e atores sociais. Essa memória aparece nas cartas, fotografias e ilustrações do Arquivo Augusto Ruschi, escolhidas para compor as atividades da Semana. Por outro lado, nosso visitante terá contato com pesquisas atuais, muitas delas estabelecendo um rico diálogo com a tradição naturalista da qual o Ruschi faz parte e apontando para um futuro, baseado na urgência de conservação e restauração da Mata Atlântica”, destaca a historiadora Alyne Gonçalves, pesquisadora do INMA.

A abertura do evento vai ter o lançamento de quatro livros: Turminha da Rebio, que reúne cinco histórias infantis escritas por pesquisadores do INMA; Guia de Aves da Rebio Augusto Ruschi; A militância ambiental de Augusto Ruschi, resultado da tese de doutorado da pesquisadora Alyne Gonçalves; e O homem, a mata e o beija-flor, de Juliana Capra.

No fim de semana, dias 25 e 26, das 8h30 às 17 horas, haverá atividades interativas voltadas aos visitantes do Museu de Biologia Prof. Mello Leitão, sede do INMA, com a participação da Reserva Natural Vale e da Reserva Biológica Augusto Ruschi. No dia 27 de maio, Dia da Mata Atlântica, segunda-feira, excepcionalmente, o parque estará aberto ao público, com o circuito especialmente criado para essa data.

Circuito especial
Desenvolvido pelos pesquisadores do INMA, o circuito “Memórias, saberes e fazeres da Mata Atlântica” apresenta informações científicas e curiosidades sobre bromélias, insetos, morcegos e beija-flores, de forma interativa e lúdica. Além das pesquisas atuais nesses temas, cada estação traz documentos do arquivo Augusto Ruschi, promovendo uma viagem no tempo e um mergulho emocionante na história da ciência da conservação da Mata Atlântica.

Nessa jornada, terão a oportunidade de explorar a vida noturna dos morcegos, descobrir a fascinante diversidade de insetos e compreender sua importância ecológica, maravilhar-se com a agilidade dos beija-flores na polinização das flores e adentrar no mundo das bromélias.

Observação de aves

No dia 25, sábado, às 16h, os apaixonados por aves também poderão participar de uma “Observação de Aves” na Reserva Biológica Augusto Ruschi, gerenciada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), sob a orientação de especialistas. Essa atividade tem vagas limitadas e exige inscrição prévia.

Na Semana da Mata Atlântica de Santa Teresa/ES, os visitantes podem, ainda, apreciar duas exposições. “Expovespa – Harmonia do Caos: entre o real e o fantástico mundo das vespas parasitoides”, realizada pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), apresenta as vespas parasitoides de forma nunca vista pelo público, usando a arte para falar de ciência. A exposição “Tem um Peixe no Céu” apresenta aquarelas da artista Sandra Coelho do Valle.

Santa Teresa, coração da Mata Atlântica

A Mata Atlântica é um dos cinco mais importantes hotspots de biodiversidade no mundo, com elevado grau de endemismo – espécies que só ocorrem nesse bioma. Quando se fala em anfíbios, das 600 espécies que ocorrem na Mata Atlântica, quase 90% são endêmicas do bioma. Santa Teresa, município da região central-serrana do Espírito Santo, é uma das regiões mais diversas do mundo, abrigando cerca de 110 espécies. Dessas, 24 ocorrem no parque do Museu de Biologia Prof. Mello Leitão, sede do INMA. Ou seja, uma em cada cinco espécies de Santa Teresa ocorrem no INMA! São 22 espécies de sapos, perereca e rãs, que pertencem ao grupo Anura, e duas “cobras-cegas”, do grupo Gymnophiona (cecílias), anfíbio que parece uma serpente.

SERVIÇO
3ª Semana da Mata Atlântica de Santa Teresa/ES
“Memórias, Saberes e Fazeres da Mata Atlântica”
24 a 27 de maio

Abertura – 24 de maio, 18h30, com lançamento de livros
Circuito “Memórias, Saberes e Fazeres da Mata Atlântica” – 25, 26 e 27 de maio, 8h30 às 17h
Expovespa – “Harmonia do Caos: entre o real e o fantástico mundo das vespas parasitoides”
Tem um Peixe no Céu – aquarelas de Sandra Coelho do Valle
Local: Museu Mello Leitão – Instituto Nacional da Mata Atlântica – INMA (Av. José Ruschi, 4, Centro – Santa Teresa/ES)

Observação de Aves na Reserva Biológica Augusto Ruschi – 25 de maio, 16h
Local: Reserva Biológica Augusto Ruschi
Inscrições: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScipho0B4iNcqWTgfQcFIhoN7KE3XlAB6PhgsiA3gPxnhWzFA/viewform

Estande do Sistema CFMVs será palco de palestras durante Anclivepa. O Congresso vai até amanhã (24)

Ponto de encontro para debates, o estande do Sistema Conselho Federal e Conselhos Regionais de Medicina Veterinária (Sistema CFMV/CRMVs) será palco de uma série de palestras durante o 43º CBA – Congresso Brasileiro da Anclivepa, entre os dias 22 e 24 de maio, no Expominas, em Belo Horizonte.

Os congressistas e visitantes encontrarão um ambiente de aprendizado e troca de conhecimentos essenciais para o avanço da Medicina Veterinária de pequenos animais no país. Na programação, temas como “Ética na Telemedicina Veterinária” e “Programa de Castração de Cães e Gatos”.

O CBA tem como objetivo entregar assuntos de grande relevância no contexto técnico-científico da Medicina Veterinária e tornou-se um espaço de oportunidades, interação e networking. O congresso espera receber mais de dez mil participantes e contará com 80 expositores, mais de 100 palestrantes e 12 eventos paralelos. O CFMV é um dos patrocinadores bronze desta edição.

Veja a programação Debates no estande do Sistema CFMV/CRMVs

22 de maio

13h às 15h – “Como lidar com o luto”, com a médica-veterinária, psicóloga e chefe do Setor de Comissões do CFMV Ingrid Atayde

15h30 às 17h – “Ética na Telemedicina Veterinária”, com o médico-veterinário e gerente técnico do CFMV Fernando Zacchi

18h às 20h – “Ética na Medicina Veterinária”, com o médico-veterinário Fábio Marcon

23 de maio

15h às 17h – Bate-papo com a presidente do CFMV Ana Elisa Almeida

18h30 às 20h – “Programas de Castração de Cães e Gatos”, com a médica-veterinária e conselheira suplente do CFMV Evelynne Hildegard

24 de maio

16h às 17h – “Profilaxia e tratamento da leptospirose canina”, com a médica-veterinária e conselheira efetiva do CFMV Mitika Hagiwara

17h às 19h – Bate-papo com os médicos-veterinários Romulo Spinelli (vice-presidente do CFMV) e Marcos Vinícius Neves (tesoureiro do CFMV)

Fonte: Assessoria

Representantes do Parque Estadual de Itaúnas fazem ação educativa em escola

Representantes do Parque Estadual de Itaúnas (PEI), localizado em Conceição da Barra, estiveram, na última terça-feira (14), na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) “Córrego do Cedro”, onde realizaram uma ação educativa sobre incêndios florestais.

A parceria foi firmada entre a professora Marta Alves e a educadora ambiental do PEI, Veratriz Souto devido ao encerramento de um projeto educativo sobre incêndios florestais, desenvolvido com os estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental. A ação contou com uma palestra abordando as principais causas dos incêndios florestais, bem como seus impactos tanto para a natureza quanto para o ser humano, e as formas de prevenção.

Em seguida, os alunos fizeram uma atividade prática envolvendo o combate aos incêndios florestais. Os alunos viram como é feito o uso de equipamentos de combate, como abafadores, extintores costais e motobombas.

O servidor do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), Gustavo Rosa, que atua no PEI e conduziu a atividade, destacou a importância da ação. “A educação ambiental desenvolvida pelas unidades de conservação é uma atividade mais que essencial. Nós plantamos sementes de interesse pela natureza e ética ambiental naqueles que vão viver e trabalhar nesse território pelas próximas décadas”, disse.

Iema abre inscrições para vaga de coordenador de projeto de pesquisa

O Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) está com inscrições abertas para seleção de coordenador de projeto de pesquisa para o Parque Estadual Paulo César Vinha (PEPCV), em Guarapari, a partir desta segunda-feira (20).

As inscrições são feitas, exclusivamente, pelo e-mail nubio@iema.es.gov.br com o assunto “Uso e ocupação do solo na zona de amortecimento do PEPCV – nome do candidato”. Os interessados devem enviar o formulário de inscrição em anexo no edital preenchido, juntamente com os diplomas, certificados, declarações, atestados e documentos comprobatórios de qualificação e experiência profissional e de vínculo com instituição de ensino e/ou pesquisa, digitalizados.

O candidato selecionado terá que investigar o uso e ocupação do solo da zona de amortecimento da Unidade de Conservação, além de propor diretrizes de planejamento para a área.

O período previsto para o desenvolvimento do projeto é de 30 (trinta) meses e o recurso financeiro disponível para o projeto é de R$ 120.000,00. O pesquisador coordenador selecionado constituirá uma equipe de pesquisa com o número de integrantes que entender necessário e adequado para a execução do projeto, levando em consideração o prazo, o orçamento, a infraestrutura e equipamentos disponíveis.

Para concorrer, é preciso possuir diploma ou certificado de conclusão de curso de graduação de nível superior nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Geografia, ou áreas afins, fornecido por instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação; e ter diploma ou certificado de conclusão de curso de mestrado em áreas correlatas às atribuições da função.

É preciso ainda ter registro válido em Conselho de Classe. Se na ativa, ter vínculo empregatício, estatutário ou por designação temporária com a Instituição de Ensino Superior e/ou Pesquisa (IES/P) localizada no Estado do Espírito Santo. Se aposentado, possuir termo de adesão a trabalho voluntário assinado com a instituição executora e apresentar declaração da IES/P concordando com a execução do projeto.

Além disso, faz-se necessário ter currículo cadastrado e atualizado na Plataforma Lattes, estar adimplente junto ao Iema e à Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), quanto à apresentação de relatórios de pesquisa, se for o caso; e ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente.

O resultado preliminar será divulgado no dia 28 de junho e o resultado final, o dia 08 de julho, no site do Iema.

Serviço:
Edital de Chamamento – Coordenação de Projeto de Pesquisa PEPCV: https://iema.es.gov.br/chamamentos-publicos
Mais informações:
Telefone (27) 3636-2585
E-mail: nubio@iema.es.gov.br

Armadilhas fotográficas capturam diversidade da fauna na Mata Atlântica

Um banco de dados com 43.068 registros obtidos na Mata Atlântica, de 58 espécies diferentes de mamíferos de médio e grande porte foram capturados por 5.380 armadilhas fotográficas, instaladas em 3.007 pontos do Brasil e 39 no Paraguai, coletados ao longo de 16 anos, entre 2004 e 2020.

O acervo foi compilado por mais de 250 pesquisadores de diversas localidades e instituições, incluindo o Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA). Já o resultado foi publicado na revista internacional Ecology no último dia 12. Entre as espécies capturadas estão algumas consideradas vulneráveis, como o bugio-ruivo-do-sul (Alouatta guariba clamitans), e espécies criticamente ameaçadas, como o muriqui (Brachyteles arachnoides). 

As armadilhas fotográficas são essenciais para o monitoramento de animais silvestres, fornecendo dados importantes sobre a fauna em seu habitat natural. O levantamento obteve, por exemplo, registros de 24 espécies ameaçadas, incluindo os primatas bugio-marrom-do-norte (Alouatta guariba guariba) e muriqui-do-sul (Brachyteles arachnoides), ambos com apenas um registro fotográfico, evidenciando o nível de ameaça em que se encontram. 

As câmeras revelam a presença de uma rica variedade de animais. Entre eles, estão grandes mamíferos, como anta-brasileira (Tapirus terrestres), com mais de 2 mil registros, onça-pintada (Panthera onca), com 79 registros, e tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), com 74 registros, e mamíferos semi-aquáticos, como capivara (Hydrochoerus hydrochaeris), com 505 registros, e lontra neotropical (Lontra longicaudis), com 66 registros. Entre os animais mais frequentes estão gambá-de-orelha-preta (Didelphis aurita), com 6.171 registros, seguido pelo tatu-galinha (Dasypus novemcinctus), registrado 4.023 vezes, anta-brasileira, com 2.462 registros, e puma (Puma concolor), com 1.441.

Esses registros, obtidos ao longo de 16 anos, oferecem um retrato da diversidade e da distribuição das espécies na Mata Atlântica. Além de serem um retrato da vida selvagem, também auxiliam na elaboração de estratégias para a conservação. No contexto deste estudo, esses dados são essenciais para compreender a ecologia das espécies e subsidiar decisões relacionadas à conservação, fornecendo evidências objetivas para embasar políticas e práticas de manejo.

“Existem desafios ambientais, como perda de habitat e ameaça constante da caça de inúmeras espécies da Mata Atlântica. A utilização das armadilhas fotográficas, por exemplo, pode indicar como as espécies estão distribuídas em uma área e quais fatores influenciam a distribuição, informação primordial para ações de conservação e manejo”, explica Flávia Chaves, pesquisadora do INMA e uma das autoras do artigo. 

A ausência de espécies-chave, como onça-pintada, anta, queixada e muriqui, em 88% dos remanescentes da Mata Atlântica, evidencia que a população de mamíferos na Mata Atlântica vem diminuindo ao longo dos anos. “Diante desse cenário,cada nova descoberta é importante para a compreensão das interações que ocorrem na Mata Atlântica. A utilização de armadilhas fotográficas permite um impulso no conhecimento da fauna de um determinado ambiente e momento, pois fornece um panorama real da biodiversidade, possibilitando uma identificação mais segura das espécies”, destaca Juliana Silva, pesquisadora do INMA, também autora do trabalho.

Esse estudo faz parte da série “ATLANTIC: Data Papers from a biodiversidade hotspot”, que, desde 2018, fornece dados sobre composição e distribuição da comunidade de plantas e animais da Mata Atlântica. Os dados que integram essa série estão disponíveis para uso público, sem restrições de direitos autorais. Ao utilizá-los, devem ser devidamente citados, assegurando o reconhecimento do trabalho dedicado à coleta e à análise dessas informações essenciais.

Projeto de lei defende animais de estimação nas cabines de voo

0

Os animais de estimação estão a um passo de uma nova conquista na hora de viajar de avião. A Câmara dos Deputados aprovou, no último dia 08 de maio, o projeto de lei 13/22 conhecido como “Lei Joca” que determina às companhias aéreas a oferecerem o serviço de transporte de cães e gatos, dentro da cabine do avião, onde ficam os passageiros. A matéria será enviada ao Senado.

Se entrar em vigor, a proposta será pioneira na regulamentação de transporte geral de animais domésticos em voos. A viagem desses animais na cabine deverá ocorrer em condições confortáveis, garantindo-se a sua segurança e a de todos os passageiros.

A Lei Joca faz alusão ao cão Joca (5 anos), da raça Golden retriever que perdeu a vida, após a companhia aérea errar seu destino o transportando para Fortaleza ao invés do Mato Grosso. O que era para ser uma viagem de 3 horas se prolongou por 8 horas, resultando na morte do cachorro. Joca foi encontrado morto ao retornar a Guarulhos.

O autor do projeto, deputado Alencar Santana (PT-SP), explica que os animais de estimação abrangidos pelo projeto são apenas cães e gatos e a regra se aplica aos voos domésticos. Entretanto, o relator prevê que a empresa aérea poderá se negar a realizar o transporte dos animais de estimação em caso de risco à saúde do animal, de segurança e de restrições operacionais.

O texto obriga ainda a companhia aérea a oferecer serviço de rastreamento de animais de estimação transportados em voos domésticos, configurado como um contrato acessório e ser realizado durante todo o trajeto da viagem até o momento da entrega do animal ao tutor, ressalvadas as restrições técnicas que impossibilitem o serviço.

O rastreamento poderá ser realizado também pelo próprio tutor do animal transportado.
Já os aeroportos com transporte anual superior a 600 mil passageiros deverão dispor de médico-veterinário para acompanhar todos os procedimentos relacionados ao embarque, acomodação e desembarque dos animais.

Esse número de passageiros transportados deverá ser apurado com base na média anual dos últimos três anos.

As regras deverão ser regulamentadas em 120 dias após sua publicação. Igual período é definido para o início de sua vigência.

Encontro discute soluções para demandas dos catadores

0

Representantes das redes de catadores do Espírito Santo estiveram reunidos com a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama) a fim de discutir soluções, alinhar ideias e ampliar a rede de Economia Circular do Estado. O encontro, realizado no último dia 09, na sede da Seama, contou com a presença de lideranças do setor e de todas as microrregiões capixabas.

Na pauta, assuntos como gargalos jurídicos do setor, investimentos de curto e médio prazo por parte do Governo do Estado e da iniciativa privada, as vantagens e os desafios do crédito de massa futura, além da melhoraria da qualidade dos serviços e da quantidade de negócios dos catadores foram levantadas.

Segundo o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Felipe Rigoni, o encontro foi fundamental para conhecer de perto as motivações das associações e dos catadores e também para estabelecer uma agenda de compromissos integrados. “Há ainda muitas regulamentações a serem articuladas para melhorar a qualidade de vida e a geração de renda de quem trabalha nas associações e de forma independente. E aproximar e conhecer as demandas, mais profundamente, é um passo muito estratégico para o crescimento desta economia no Estado”, destacou o secretário.

O encontro serviu também para apresentar o primeiro esboço do Mapa da Economia Circular Verde em Resíduos do Espírito Santo, que será uma plataforma para divulgar o trabalho das associações e dos catadores independentes, e ainda pulverizar informações de serviços de forma ágil, interativa, fácil e on-line.

Os participantes tiveram a oportunidade de conhecer o Mapa e foram capacitados pela equipe técnica da Secretaria a preencherem os formulários que alimentarão a plataforma, que em breve estará disponível livremente no site da Seama.

“O Mapa será uma vitrine virtual para que todos possam conhecer quais são as associações e os catadores localizados no Espírito Santo, além dos serviços que oferecem, aproximando clientes, fornecedores, investidores, pesquisadores e a sociedade. Com o Mapa será possível melhorar o planejamento logístico, além das ações públicas de investimentos e ainda ampliar a geração de futuros negócios”, explicou Rigoni.

Novos encontros estão previstos para acontecer, também de forma colaborativa e integrada, durante os próximos meses.

Participaram do Encontro: Rede de Economia Solidária dos Catadores Unidos do Espírito Santo (Reunes); Rede de Catadores de Materiais Recicláveis do Norte do Espírito Santo (Redenorte); Rede de Catadores de Materiais Recicláveis Sul-Serrana. Também estiveram presentes representantes das associações que estão em processo de formação da Rede Doce-Leste e Doce-Oeste, entre elas, a Associação de Catadores Colatinenses (ASCOOR); a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis do Município de Ibirapuera (ASCOMÇU); a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Município de Sooretama (Ascomsoor); a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Município de Águia Branca (ACMAB); além de consultores da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes).

Feira de Adoção terá cães e gatos resgatados e acontece sábado (11) em Campo Grande, Cariacica

0

Cães e gatos resgatados em Cariacica poderão ganhar uma nova família na Feira de Adoção que acontece no próximo sábado (11/5), das 9h às 13h, na praça da Avenida Expedito Garcia, em Campo Grande. O evento é promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec).

Os 20 animais foram resgatados no bairro Maracanã, em fevereiro, após uma operação da Prefeitura de Cariacica, por meio da Gerência de Bem-estar Animal, que constatou que eles eram vítimas de maus-tratos.

Estarão disponíveis 12 cães adultos, um cão filhote e dois gatos. Todos os animais já são castrados, vermifugados, vacinados e microchipados.

Para adotar qualquer um dos animais, é preciso ter mais de 18 anos e possuir espaço e rotina compatíveis com o bem-estar do bichinho. Os interessados na adoção vão passar por uma triagem e, em seguida, preencher um formulário que será avaliado pela equipe

Anac e ministério vão investigar morte de cão em voo da Gol

O início da semana começou com a notícia triste da morte do cão Joca (5 anos), da raça Golden retriever, após ter sido levado a cidade de Sinop, Mato Grosso, a partir do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, no dia 22 deste mês. 

Mas, a Gol, empresa responsável pelo transporte do animal, o colocou com destino a Fortaleza. Ao constatar o erro, a companhia enviou o cachorro de volta a Guarulhos. Todo o procedimento levou cerca de 8 horas, tempo muito maior do que as duas horas e meia, inicialmente previstas. Joca foi encontrado morto ao chegar em Guarulhos.

“O meu amor foi assassinado, minha melhor escolha, amor da minha vida. Você foi muito novo!! Eu me lembro do dia que eu te peguei e a nossa conexão foi momentânea! Meu filho, me perdoa por ter sido egoísta de querer você ao meu lado! Você é o amor da minha vida para sempre! Minha saudade vai ser diária! Saudades de dar a sua maçã toda manhã, levar você para a piscina e de cuidar de você diariamente! Obrigado por tudo meu companheiro! A Gollog e a Gol mataram você! Mas eu vou lembrar sempre de você. Obrigado por ser meu parceiro nesses 5 anos”, postou nas redes sociais, o tutor do cachorro, João Fantazzini.

Diante do ocorrido, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Ministério de Portos e Aeroportos informaram quarta-feira (24) que foi instaurado um processo administrativo para apurar a morte de um cão da raça golden retriever durante o voo G3 1527 da empresa Gol. 

Em nota conjunta, a agência e o ministério informaram que já solicitaram à Gol os “detalhes sobre as condições de transporte do animal, o seu envio para localidade diversa da contratada e as condições para a prestação desse tipo de serviço”.

Em nota, a Gol lamentou o ocorrido

“A companhia está oferecendo desde o primeiro momento todo o suporte necessário ao tutor e sua família. A apuração dos detalhes do ocorrido está sendo conduzida com total prioridade pelo nosso time”.

A Gol suspendeu por 30 dias a venda do serviço de transporte de cães e gatos pela Gollog Animais e pelo produto Dog&Cat + Espaço, para viagens no porão das aeronaves.

“Para os clientes que contrataram o transporte do seu pet entre 24 de abril a 23 de maio de 2024 por meio dos serviços que estão com restrição, poderão optar por restituição total do valor, inclusive do valor da sua passagem (no caso de Dog&Cat + Espaço), ou por postergar a viagem, sem custo, para depois de 23 de maio em voos até 31 de dezembro de 2024”.“O serviço Dog&Cat Cabine, para clientes que levam seus pets na cabine do avião, não sofrerá nenhuma alteração”.

Fonte: com informações Agência Brasil EBC